• A TRISTE HISTÓRIA DE BARCOLINO

    SINOPSE

    A triste história de Barcolino, o homem que não sabia morrer […] é um livro que, por inúmeras razoes,despertar’a o interesse de quem procura outros enredos e imaginários, outras formas de ver, escrever e lembrar.

    No entanto, devido aos ossos do oficio, isto é aos rumores que as minhas pesquisas sobre a literatura moçambicana vão seguindo, devo confessar que o que mais me intrigou nesta história de “bela tristeza” foi, para além da habilidade e da cortesia da sua prosa, sem sombra de dúvida  o lugar da sua ambientação. A Costa do Sol e o Bairro Pescadores onde a cidade de Maputo se junta às águas mansas e densas de mistério do Indico, são os cenários de um enredo todo centrado à volta de Barcolino, “engenhoso pescador”, “homem mais do mar de que da terra” e “conhecedor da fúria de Adamastor” cuja historia, atravessando bares, bairros e quintais, transtorna os moradores e confunde os turistas. Pano de fundo insólito construído em torno de imaginário marítimo que dentro da literatura moçambicana institui-se habitualmente como território sobretudo- na Ilha de Moçambique, sobretudo o que o autor resgata e habita de sonhos que se tornam histórias e de um quotidiano convival- feito também de lazeres e excessos- num desencontro entre vivência e imaginação de indubitável originalidade narrativa.

     

    800,00 MT